solidariedade

Geromel - Atividades Solidárias

Solidariedade é um ato de ajuda ao próximo.

 Cemiterios  Cidadania Cultura  Ecologia  Ecumenismo  Políticas  Solidariedade  Tecnologia

Solidariedade é um ato de ajuda ao próximo.

Os problemas sócio econômicos só podem ser resolvidos com o auxílio de todas as formas de solidariedade: solidariedade dos pobres entre si, dos ricos e dos pobres, dos trabalhadores entre si, dos empregadores e dos empregados na empresa, solidariedade entre as nações e entre os povos. A solidariedade internacional é uma exigência de ordem moral. Em parte, é da solidariedade que depende a paz mundial.

Solidariedade é um ato de ajuda ao próximo.

Existem diversas formas de colaborar, de ser solidário diretamente com uma pessoa ou comunidade carente ou através de organizações que se propõem a estas atividades.  O importante é ser útil de alguma forma. Ser solidário não significa apenas doar alguma coisa material, dar uma esmola, fazer sua contribuição dedutível dos impostos ou participar de campanhas como a fome zero, mas se você tem objetos (roupas, calçados, agasalhos, etc.) sem utilidade, apenas acumulando em sua casa, não hesite em doar.  Ser solidário pode ser apenas uma atitude de boa vontade com alguém, ao abrir uma porta, responder uma pergunta corretamente a quem está desorientado, visitar abrigos de crianças ou idosos, visitar doentes que estão sozinhos num hospital, além de auxiliar de alguma forma para minimizar os graves problemas de uma tragédia seja por chuva, fogo, seca ou acidentes.
VAGAS PRESENCIAIS, para quem está próximo ao locais atingidos:
Voluntário doador de sangue.
Organizador de recreação para pessoas em abrigos.
Voluntário separador de doações.
Voluntários profissionais: Psicólogo, Assistente Social, Engenheiro Civil, Engenheiro de Minas, Engenheiro Florestal, Geólogo, Médicos, Enfermeiros, técnicos em construção, enfermagem, etc.
Cadastre-se junto a Defesa Civil local, evite deslocamento para o local atingido sem fazer o contato.
VAGAS PARA VOLUNTÁRIOS ON LINE, de qualquer lugar, sem sair de casa, pela internet ou outros meios de comunicação.
Voluntário organizador de campanha para desabrigados junto a empresas e entidades de utilidade pública.
Divulgador da Campanha de Doações
Divulgador de formas de apoio aos desabrigados
VOLUNTÁRIOS DE OUTRAS REGIÕES
Se você mora em outra cidade, estado, ou pais, pode ajudar também.
Encaminhe doações para a Defesa Civil de seu estado, para uma unidade das Forças armadas ou Clubes de serviços como Rotary e Lions.
Doações em dinheiro para contas cadastradas, verifique com a Defesa Civil
Doação de alimentos não perecíveis (Os alimentos devem estar dentro do prazo de validade e com a embalagem intacta).
Doação de roupas, calçados (devem estar limpos e em condições de uso., sapatos devem estar amarrados entre si (pé direito com esquerdo) e a numeração deve ser marcada do lado externo com caneta).
Doação de colchões, roupas de cama, cobertores (devem estar em bom estado de conservação, limpos e prontos para utilização).
Doação de material hospitalar e medicamentos (esparadrapo, gaze, algodão, ataduras, luvas, etc.).
Doação de produtos de limpeza e higiene pessoal (baldes, vassouras, rodos, panos, cloro, sabão, sabonete, creme dental, escovas, fraldas, absorventes, etc.)
Doação de água potável, produtos para esterilizar água, filtros, etc.
Doação de brinquedos
Doação de barracas e material de camping.
Dez dicas sobre voluntariado:
1. Todos podem ser voluntários
Não é só quem é "especialista" em alguma coisa que pode ser voluntário. Todos podem participar e contribuir: o que cada um faz bem pode fazer bem a alguém. O que conta é a motivação solidária, o desejo de ajudar, o prazer de se sentir útil.
2. Voluntariado é uma relação humana, rica e solidária
Trabalho voluntário não é uma atividade fria, racional e impessoal. É contato humano, é relação de pessoa a pessoa, oportunidade para se fazer novos amigos, intercâmbio e aprendizado.
3. Trabalho voluntário é uma via de mão dupla: o voluntário doa e recebe
Voluntariado não tem nada a ver com obrigação, com coisa chata, triste, motivada por sentimento de culpa. Voluntariado é uma experiência espontânea, alegre, prazerosa, gratificante. O voluntário doa sua energia e criatividade mas ganha em troca contato humano, convivência com pessoas diferentes, oportunidade de viver outras situações, aprender coisas novas, satisfação de se sentir útil.
4. Voluntariado é ação
O voluntário é uma pessoa criativa, decidida, solidária. Não é preciso pedir licença a ninguém antes de começar a agir. Quem quer, vai e faz. Claro que quando a ação se dá no interior de uma instituição - como uma escola, uma biblioteca ou um hospital - a contribuição do voluntário deve estar bem articulada com as necessidades e procedimentos da entidade que o recebe.
5. Voluntariado é escolha
As formas de ação voluntária são tão variadas quanto às necessidades da comunidade e a criatividade do voluntário. Durante muito tempo o voluntariado no Brasil se concentrou na área de saúde e no atendimento a pessoas carentes. A ajuda a pessoas em dificuldade é fundamental, mas, hoje em dia, abrem-se também novas oportunidades nas áreas de educação, atividades esportivas e culturais, proteção do meio ambiente, luta contra a violência etc. Cada necessidade é uma oportunidade de ação voluntária. Basta olhar em volta e dar o primeiro passo.
6. Voluntariado é compromisso
Cada um contribui, na medida de suas possibilidades, com aquilo que sabe e quer fazer. Uns têm mais tempo livre, outros só dispõem de algumas poucas horas por semana. Alguns sabem exatamente onde ou com quem querem trabalhar. Outros estão prontos a ajudar no que for preciso, onde a necessidade é mais urgente. Cada compromisso assumido, no entanto, é para ser cumprido. Uma pequena ação bem feita tem muito valor. Nada é mais decepcionante do que prometer e não ser capaz de realizar.
7. Cada um é voluntário a seu modo
Alguns são capazes individualmente de identificar um problema, arregaçar as mangas e agir. Outros preferem atuar em grupo. Grupos de vizinhos, de amigos, de estudantes ou aposentados, de colegas de trabalho que se mobilizam para ajudar pessoas e comunidades. Por vezes é uma instituição inteira que se mobiliza, seja ela um clube, uma igreja, uma entidade beneficente ou uma empresa. No voluntariado é assim: não há fórmulas nem receitas a serem seguidas.
8. Voluntariado é uma ação duradoura e com qualidade
O voluntariado não compete com o trabalho remunerado nem com a ação do Estado. Sua função não é tapar buracos nem apenas compensar carências. Uma sociedade participante e responsável, capaz de agir por si mesma, não espera tudo do Estado. Assume também a sua parte sem abrir mão de cobrar dos governos aquilo que só eles podem fazer.
9. Voluntariado é uma ferramenta de integração social
Compartir alegria e aliviar o sofrimento de outros, melhorar a qualidade de vida em comum é um direito de todos. Todos têm o direito de ser voluntários. Os jovens, as pessoas portadoras de necessidades especiais, os aposentados e os idosos têm muito a contribuir com seus valores, experiência e criatividade. Assegurar a todos o direito de ser voluntário significa construir uma sociedade mais tolerante com as diferenças, mais solidária e unida.
10. No voluntariado todos ganham: o voluntário, aquele com quem o voluntário trabalha, a comunidade
Ao mobilizar energias, recursos e competências em prol de ações de interesse comum, o voluntariado combate à indiferença, a discriminação e a exclusão social, fortalece a solidariedade e a cidadania, reforça o pertencimento de todos a uma mesma sociedade. Ajudando aos outros, ajudamos a nós mesmos e a todos.